Velocitta recebe a Stock Car em momento de definição

O técnico autódromo da cidade de Mogi Guaçu (SP) recebe a antepenúltima etapa da temporada, em uma pista na qual os pilotos gastam 25% do tempo de volta usando os freios. Previsão do tempo aponta possibilidade de chuva.

A Stock Car Pro Series se aproxima de seus momentos de definição na temporada 2021, uma das mais disputadas de sua história. No final de semana, a principal categoria do automobilismo brasileiro coloca os carros na pista para a realização da décima e antepenúltima etapa do campeonato, retornando ao técnico circuito do Velocitta, em Mogi Guaçu (SP).

Já é o momento em que pilotos e equipes começam a fazer seus cálculos pensando na disputa pelo título, pois após as corridas do interior paulista a Stock Car Pro Series segue para Santa Cruz do Sul (RS) no final de novembro e, em 12 de dezembro, acontece a definição do campeão com prova marcada para Brasília (DF).

E o final de semana em Mogi Guaçu começará com um novo líder do campeonato. Depois dos bons desempenhos nas provas de Goiânia, nas duas etapas anteriores, Gabriel Casagrande lidera a tabela com 278 pontos totais. Contando os descartes, ele soma 271 e se mantém momentaneamente em primeiro. Daniel Serra, que até a chegada a Goiânia liderava a classificação geral, soma agora 262, dos quais 249 são elegíveis no momento contando os descartes de seus piores resultados.

Rubens Barrichello é outro piloto que chega com bons prospectos ao Velocitta. Em junho, quando o autódromo recebeu uma rodada dupla com a terceira e a quarta etapa, o campeão de 2014 foi para os treinos ocupando a penúltima posição no campeonato com apenas dois pontos. Naquele final de semana, fez uma pole, dois segundos lugares, um quarto e venceu uma das corridas, saltando para o sexto lugar na ocasião. Agora, ele é o terceiro com 234 pontos (232 em se considerando os descartes).

A pista, conhecida por exigir bastante do conjunto de freios, especialmente dos discos Fremax e pastilhas Fras-le, tem dois pontos importantes de frenagem, nas curvas 1 e 8 (esta, conhecida como saca-rolha). Na primeira curva do traçado, os carros se aproximam a uma velocidade de 215 km/h e reduzem para 90 km/h no contorno da curva, e o fazem com uma frenagem que se estende por 170 metros reduzindo a velocidade em 125 km/h durante apenas quatro segundos, gerando uma desaceleração de 1,5 G.

No ‘Saca-Rolha’, os carros vêm em uma reta longa, em descida, carregando bastante velocidade e atingem 200 km/h no ponto de frenagem, no qual os pilotos reduzem para aproximadamente 90 km/h em 135 metros, tirando 110 km/h em 3,5 segundos com uma desaceleração de 1,4 G.

Uma volta completa no Velocitta dura pouco mais de 1min30s a bordo do Stock Car, e 25% do tempo de volta – cerca de 22 segundos – é gasto fazendo uso dos freios. Seletivo com subidas e descidas, o circuito oferece boas oportunidades de ultrapassagem, especialmente nas duas curvas onde os freios são mais exigidos, e com a previsão de temperaturas mais baixas durante o final de semana (mínimas de 10 graus e máxima de 24ºC), a refrigeração do sistema de freios torna-se um aspecto a ser bastante monitorado nas atividades de pista, uma vez que os discos de freio Fremax são feitos para trabalhos a temperaturas de até 720ºC, enquanto as pastilhas de freio da Fras-le suportam temperaturas de trabalho de até 840ºC.

A FRAS-LE e a FREMAX são as fornecedoras oficiais de pastilhas e discos de freio da categoria, respectivamente, e trabalham em conjunto com as todas as equipes do grid para assegurar o melhor desempenho, segurança, eficiência e confiabilidade. A Fremax é a fornecedora dos discos desde 2004 e a Fras-le, desde 2016.

Fala, piloto!
“É uma pista exigente com os freios. Logicamente, você tem uma prova bem longa, que hoje requer uma atenção maior. É uma pista que precisa de um equilíbrio maior. Não é de alta velocidade, mas precisa de bons freios. Como tem subidas e descidas, exige bastante do equilíbrio em freada e dos freios em geral”.
(Rubens Barrichello, Full Time Sports, Toyota Corolla, #111)

A pista do Velocitta na ótica da FRAS-LE & FREMAX

“O Velocitta tem uma belíssima estrutura e asfalto excelente. Seu traçado com 12 curvas e um bom mix de subidas e descidas. As freadas tornam-se mais técnicas e fortes nas descidas para que o piloto mantenha a trajetória correta e não perca tempo nas curvas. E devido ao fato de ser um traçado com retas curtas, os freios são ainda mais exigidos por haver menos tempo para refrigeração durante a volta, a qual se passa quase ¼ do tempo freando”.
(André Brezolin, engenheiro de projeto FRAS-LE & FREMAX)

Classificação do campeonato (Top-10)
Posição – piloto – pontuação (total com descartes)
1º – Gabriel Casagrande – 278 (271)
2º – Daniel Serra – 262 (249)
3º – Rubens Barrichello – 234 (232)
4º – Ricardo Maurício – 231 (228)
5º – Cesar Ramos – 218 (213)
6º – Ricardo Zonta – 210 (210)
7º – Átila Abreu – 205 (205)
8º – Thiago Camilo – 199 (199)
9º – Bruno Baptista – 184 (184)
10º – Allam Khodair – 171 (171)

10ª Etapa – Stock Car Pro Series 2021
MOGI GUAÇU (SP)
Autódromo Velocitta
Extensão: 3.438 metros
Sentido: anti-horário
Curvas: 12 (4 à direita e 8 à esquerda)

Características técnicas (nível 1 a 5 do menor para o maior):

Abrasividade do asfalto: 3
Força lateral: 2
Nível de exigência dos freios: 4
Pneu mais exigido: traseiro direito

Inauguração: 16 de junho de 2012
Previsão climática: Sol entre nuvens, com possibilidade de chuvas na parte da tarde tanto no sábado como no domingo. Temperaturas variando entre 16 e 31ºC.
Pole positions em 2021*: Ricardo Zonta, 1min31s125 e Rubens Barrichello, 1min31s267
Vencedores em 2021*: Gabriel Casagrande, Lucas Foresti, Rubens Barrichello e Ricardo Zonta
*O Velocitta recebeu as etapas de número 3 e 4 nos dias 19 e 20 de junho deste ano.

Pilotos que já venceram em 2021
Goiânia: Daniel Serra e Ricardo Maurício
Interlagos: Gabriel Casagrande e António Félix da Costa
Velocitta: Gabriel Casagrande e Lucas Foresti
Velocitta: Rubens Barrichello e Ricardo Zonta
Cascavel: Thiago Camilo e Átila Abreu
Curitiba (misto): Ricardo Maurício e Thiago Camilo
Curitiba (externo): Rafael Suzuki e Átila Abreu
Goiânia (misto): Rubens Barrichello e Ricardo Maurício
Goiânia (externo): Ricardo Maurício em ambas

Programação da Stock Car no Velocitta:
Sábado, 23 de outubro

8h00 – 8h10 – Stock Light – shakedown
8h20 – 8h30 – Stock Car – shakedown
8h45 – 9h50 – Stock Light – treino livre 1
10h00 – 11h05 – Stock Car – treino livre 1
11h15 – 12h20 – Stock Light – treino livre 2
12h30 – 13h35 – Stock Car – treino livre 2
14h00 – 14h20 – Stock Light – classificação
15h00 – 15h45 – Stock Car – classificação
16h18 – Stock Light – corrida 1 (30min + 1 volta)
Domingo, 24 de outubro
13h10 – Stock Car – corrida 1 (30min + 1 volta)
13h48 – Stock Car – corrida 2 (30min + 1 volta)
15h43 – Stock Light – corrida 2 (30min + 1 volta)

Sobre a FRAS-LE:

No mercado há mais de 67 anos e uma das cinco maiores fabricantes mundiais de materiais de fricção, a Fras-le, que faz parte das Empresas Randon, é uma marca reconhecida globalmente. Com mais de 12 mil referências  nas marcas FRAS-LE & Lonaflex, a empresa coloca ao alcance do consumidor uma linha completa de produtos de fricção da mais alta qualidade, desenvolvidos e testados em seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, um dos  mais bem equipados do mundo, que conta com laboratórios químico, físico, piloto e o Centro Tecnológico Randon, um centro de testes por excelência.

 A empresa expandiu seu portfólio com a aquisição, em 2012, da Controil, que fabrica componentes para freios e embreagens e polímeros automotivos. Em 2018, mais 2.500 referências com a marca FREMAX foram incorporadas ao mix de produtos da FRAS-LE, com a aquisição da empresa, que produz discos, tambores de freios e cubos de roda.  

Desde 2016, a Fras-le é a fornecedora oficial das pastilhas de freio dos carros da Stock 
Car, Stock Light e Mercedes-Benz Challenge.  A FREMAX, desde 2004,  também é a fornecedora oficial dos discos de freio da Stock Car,  assim como das categorias Stock Light, Mercedes-Benz Challenge, Porsche GT3 Cup, Sprint Race e Old Stock

Recentemente, a FRAS-LE concluiu a aquisição da Nakata Automotiva que, dentre os principais itens estão amortecedores, terminais e barras de ligação e direção, pivô e bandejas de suspensão, juntas homocinéticas, componentes de eixos cardan e diferencial.

A Fras-le, seja através das suas aquisições ou no desenvolvimento de materiais mais inteligentes (mais leves, eficientes e com materiais primas mais sustentáveis) tem construído uma plataforma cada vez mais diversa, de itens fricção e não fricção, estando atenta aos movimentos e necessidades do mercado global.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s