Time brasileiro confirmado para evento-teste da SSL Gold Cup, a Copa do Mundo da Vela

Equipe terá maior medalhista olímpico Robert Scheidt como timoneiro e as bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze no barco.

A seleção brasileira de vela para o evento-teste da SSL Gold Cup, considerada a Copa do Mundo da modalidade, foi definida pelo comandante Robert Scheidt com 10 atletas. Além do maior medalhista olímpico do País, o grupo disputará regatas contra outras nações no Lago Neuchâtel, na Suíça, com as bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze.

As provas serão de 27 de setembro a 3 de outubro e o Brasil enfrentará os barcos da Argentina, Croácia, Estônia, Hungria, Israel, Omã e Suíça. Os treinos começam na quarta-feira (22).

O time nacional terá mais representantes de Tóquio 2020 a bordo como Gabriel Borges (49er) e Henrique Haddad (470). Outros nomes de ponta da vela estão no barco brasileiro, como Joca Signorini, campeão da The Ocean Race 2008-09 e de André Fonseca, com participações em regatas de volta ao mundo, olimpíadas e multicampeão no País na vela oceânica. Completam o grupo Henry Boening Maguila, Alfredo Rovere e Juninho de Jesus.

”Temos uma equipe boa no papel, que precisa velejar bem junta. O Brasil tem uma oportunidade legal de contar com esse time. Montamos uma boa tripulação e agora precisamos nos entrosar”, disse Robert Scheidt, timoneiro da equipe.

”Reunimos talentos de diferentes áreas, mas formar um time é sempre um desafio. O mais importante agora é reunir o time, dividir as funções no barco. Formar a tripulação mesmo. Vai ser um aprendizado, pois nem todo mundo velejou nesse barco”.

O evento-teste serve de preparação para a primeira edição da SSL Gold Cup será realizada na Suíça, de maio a junho de 2022. Na primeira fase de treinos, que terminou no último domingo (19), o vencedor foi a África do Sul.

A ideia da competição é fazer uma Copa do Mundo de vela, reunindo num mesmo veleiro os melhores velejadores de cada país. São 56 nações inscritas para as provas do ano que vem. Os barcos são de 47 pés cedidos pela organização.

”Primeiro evento da seleção brasileira de vela será muito importante para entendermos quais os pontos fracos da equipe e poder trabalhar nas soluções”, disse Bruno Prada, gerente da equipe.

“Um campeonato entre nações é muito legal. A vela finalmente terá o equivalente a uma Copa do Mundo de futebol. O objetivo é fazer o barco da forma mais simples possível. Se colocar muita tecnologia, cria-se dificuldade para velejar. Mas não é um barco fácil, pois terá uma série de detalhes. O que vai valer é a capacidade da tripulação de manusear os cabos e ajustar as velas”.

SSL tabela com Brasil(Divulgação)
Regata(Martina Orsini | SSL Gold Cup)

Equipe 

1 – Alfredo Rovere – proa

2 – Juninho de Jesus – pit & runners

3 – Henry Boening ‘Maguila’ – Grinder

4 – Kahena Kunze – segundo trimmer e grinder

5 – Gabriel Borges – trimmer & jib/gennaker

6 – Martine Grael – estratégia & grinder

7 – André Fonseca Bochecha: trimmer & grande/trav

8 – Robert Scheidt – timoneiro

9 – Joca Signorini – tática e grinder 

10 – Henrique Haddad (Giga) – 10º tripulante, coach e observador.

Confira o ranking completo em https://www.starsailors.com/ranking.

A SSL Gold Cup será o campeonato ‘final’ do circuito com 56 nações entre os membros da World Sailing, para coroar a melhor nação da vela a cada dois anos. Em um esporte mecânico onde a corrida pela tecnologia às vezes atrapalha a corrida pela glória, a SSL visa a competição igualitária, em que o talento dos velejadores está na vanguarda e os campeões se tornam heróis que inspiram novas gerações. A SSL é um Evento Especial da World Sailing desde 2017.

Como na Copa do Mundo de futebol, as primeiras rodadas de qualificação selecionam os times que avançam para as fases eliminatórias. Todas as regatas são com flotilhas de quatro barcos em cada até as quartas de final. As equipes serão colocadas em chaves, com os oito primeiros colocados garantidos nas quartas-de-final.

Duas flotilhas de quatro competem nas quartas-de-final para selecionar as quatro equipes que participam da única regata da Grande Final. O vencedor da da Grande Final é coroado como a Melhor Nação da Vela. A SSL inventou este formato inovador e os fogos de artifício no final proporcionarão uma conclusão dramática para esta competição global.

”Todo o conceito da SSL Gold Cup é muito semelhante à Copa do Mundo de futebol, que começa com as fases de qualificação e em seguida, avança para as quartas-de-final, semifinais e depois para as finais. Isso funciona bem em outros esportes e queremos fazer o mesmo na vela”, contou polonês Mateusz Kusznierewicz, diretor de esporte da SSL Gold Cup.

Mais informações em https://goldcup.starsailors.com/

Entre em contato com a equipe On Board Sports:
Flavio Perez
flavio@onboardsports.net | redacao@onboardsports.net
+55 11 99949-8035
🔛 www.onboardsports.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s