Paciência, Quem Vence, Governa!

Existem discussões acerca das competências e prazos para que um governo municipal, estadual ou federal inicie ações concretas e mostre “a que veio”. Analistas políticos tendem a avaliar negativamente um governo, erroneamente, logo no início da gestão. Por mais que não avaliem corretamente o resultado, ele é parte da regra do jogo. Em matéria publicada nesse jornal, no último dia 07/01, o educador e sociólogo Mateus Prado Henfil avalia criticamente o resultado da eleição de Mauá, comparando com outras eleições citando inclusive o desempenho, ou intenção de voto, do ex-presidente Lula, e o histórico do PT em Mauá-SP. Com respeito ao autor, mas contrário à, no mínimo, 03 pontos de sua matéria pode-se afirmar: “1)A sigla que venceu a eleição foi PT; 02) O PT sofreu alterações, naturais, em seus quadros pois lideranças saem e voltam; 3)Quando a liderança, que saiu, não sobrevive fora é porque o PT continua com a mesma cara; 04) Atila não avançou no eleitorado do PT pois o eleitor vota em propostas; E não menos importante 5) Todo projeto é de governo, seja ele PT, PSB, PSOL, REDE, outros, e a população se posicionará a cada eleição. É importante registrar o respeito e serenidade que recai sobre o educador e sociólogo Mateus Prado, uma vez que construiu sua formação e atuação política na defesa dos direitos sociais e respeito ao ser humano. Por outro lado, há que se ponderar algumas posições, pois retratam momentos diferentes, atores envolvidos, meios de comunicação, “pandemia da COVID-19”, bem como a dimensão da imagem dos atores. Ao se negar um resultado, já consolidado legalmente, está se negando ao vencedor o “direito de errar”. Pergunta-se: “não seria, o direito de acertar”? Sim, mas “quando lhe tiram o direito de acertar é porque lhe resta o direito de errar”. Nesse contexto há que se aceitar o resultado das urnas dentro do processo jurídico eleitoral legal até que se tenha outra regra eleitoral. Dicotomia: quando o autor afirma: “Não foi o Marcelo que ganhou o segundo turno, foi o Atila que perdeu” toma-se a liberdade de brincar com a dicotomia da frase invertendo-a para: “Não foi o Atila que perdeu, foi Marcelo que ganhou”. Portanto: Paciência, Quem Vence, Governa!!

Lamartine Dourado

Economista e Consultor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s