Confira dicas da Defesa Civil Nacional para a chegada do período chuvoso

Para estados e municípios, a principal orientação é minimizar os riscos com ações de prevenção e preparação para os desastres naturais.

A chegada do período de chuvas, em especial nas regiões Sul e Sudeste do País, acende um alerta para o risco de possíveis desastres naturais e reflete a necessidade de os estados e municípios estarem preparados para agir nesta época do ano.

O período chuvoso, quase sempre, começa em novembro e termina em março, podendo se estender por mais tempo, e pode provocar, entre outros fenômenos, vendavais, tempestades de raios, inundações, enxurradas e quedas de granizo, entre outros.

A fim de minimizar os riscos, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) orienta as defesas civis estaduais e municipais a atuarem antes, durante e após esse período.

Antes das chuvas, as principais recomendações envolvem a limpeza urbana, com destaque para o desassoreamento de córregos e rios e o esvaziamento de bueiros para evitar inundações e alagamentos.

A Defesa Civil Nacional destaca, ainda, a importância de ser reservada uma área segura para receber possíveis desabrigados e desalojados, com estrutura apropriada e material de primeiros socorros.

Uma campanha de inscrição de voluntários em diversas áreas de atendimento também é fundamental. Outra sugestão é a utilização de panfletos explicativos e carros de som, além de parcerias com emissoras de televisão, rádios, escolas e estabelecimentos comerciais para abastecer a população com informações precisas e seguras sobre possíveis ocorrências e avisos meteorológicos. O Twitter da Defesa Civil Nacional também divulga as previsões meteorológicas.

O MDR também aconselha agentes estaduais e municipais de Proteção e Defesa Civil a reforçarem ações de monitoramento, alerta e alarme e a colocarem em prática os planos de ações preparatórias e de gestão de riscos e de desastres, que englobam a análise e o registro de boletins de meteorologia, o mapeamento dos bairros com maior probabilidade de alagamentos ou deslizamentos, o monitoramento das áreas de risco e a manutenção do Plano de Contingência atualizado em conjunto com as secretarias municipais de Saúde, Educação, Segurança Pública e Infraestrutura.

No caso de um desastre, a Defesa Civil Nacional precisa ser informada para que as ações de respostas federais sejam mais céleres para garantir a proteção da população em vulnerabilidade.

Para o diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Armin Braun, a preocupação com as chuvas não pode ser momentânea. Não por acaso, as ações são pensadas ao longo do ano todo.

“A Defesa Civil Nacional tem por característica um trabalho antecipado aos períodos de chuva, com ações de prevenção, capacitação e preparação. Nós nos preparamos para as chuvas intensas organizando informações a partir de reuniões com agências de meteorologia, hidrologia e geologia a fim de termos um prognóstico mais adequado do que vai ocorrer nos próximos meses, semanas e dias. Quando observados eventos mais severos, é feita a comunicação com os órgãos estaduais e municipais de Defesa Civil, além dos alertas que já enviamos cotidianamente”, explica.

O diretor do Cenad destaca, ainda, que o desempenho das cidades após a concretização de um desastre natural depende do quanto ela se preparou para a situação. “É bastante importante a atuação deles (municípios) no momento de preparação, ou seja, quando recebem os alertas, que podem vir do próprio município, do estado ou da Defesa Civil Nacional”, observa.

Papel da população no período chuvoso

A conscientização e o comportamento da população ao longo do ano e, principalmente, durante as fortes chuvas têm grande impacto no resultado e nas consequências dos desastres naturais.

Nesta época do ano, o MDR orienta os moradores tanto para os riscos de jogar lixo nas ruas e nas proximidades de rios, quanto para a necessidade de limpar calhas e telhados. A Defesa Civil Nacional também alerta para o perigo de pisos e paredes com trincas e rachaduras, que indicam possíveis desabamentos.

“A população tem um trabalho muito importante a ser feito na autoproteção e na proteção comunitária. As pessoas devem procurar saber o telefone da Defesa Civil do seu município, onde ela está localizada e suas capacidades. Também é importante que as pessoas busquem saber se suas casas estão situadas em áreas de risco alto, médio ou moderado e terem bastante cautela neste período, além de estarem atentas aos alertas”, avalia o diretor do Cenad, Armin Braun.

Reuniões de preparação para as chuvas

Com a chegada do período chuvoso, a Defesa Civil Nacional vai realizar, nesta sexta-feira (19), reuniões técnicas de aproximação e nivelamento das informações dos órgãos do Sistema Federal de Proteção e Defesa Civil que atuam na resposta aos desastres naturais.

Fonte: Brasil 61

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s