Fragilidade Eleitoral!

Por Que esse Título do Artigo? Vamos lá. Você vai votar em Qual Vereador(a)? É do mesmo partido? Pois bem, a “Fragilidade Eleitoral” poderá estar na infidelidade partidária em função da nova regra eleitoral. Não poderá haver “coligação de chapas proporcionais (vereadore(a)s”, ou seja, cada candidato à vereador buscará conquistar votos para sí e, também, torcendo muito para que seus colegas de partido tenham bom desempenho sentido de alcançarem o “quociente eleitoral” e conquistarem, ao menos, uma cadeira. A fragilidade Eleitoral também estará representada no potencial de alcance do eleitor que alguns partidos terão, uma vez que a estrutura partidária não poderá financiar tal objetivo de maneira adequada. Uma cidade com tanta complexidade política e sujeita à interpéries diversos não garantirá sucesso a muitas candidaturas e nesse aspecto pode-se registrar tal dificuldade também para cargos majoritários (prefeito). Grande parcela da sociedade de Mauá tem visto transformações  pois a cidade cresceu populacional e economicamente, entre outras questões decisivas para os rumos da cidade. As candidaturas a prefeito, carro chefe do pleito eleitoral em 2020, teve início no último domingo e grandes movimentações ocorreram com objetivo de mostrar força e “vigor eleitoral”. Ainda, haverá que se observar o comportamento, dos candidatos e dos eleitores, durante os próximos 44 dias de disputas acirradas. Como exemplo de “Fragilidade Eleitoral” pode-se citar o episódio PT-PTB (Mauá) onde os partidos haviam definido parceria para as eleições. Roberto Jeferson, presidente nacional do partido, editou resolução que proíbe “coligação/parceria” de seu partido com legendas “anti-Bolsonaro” e, dessa maneira, inviabilizou aproximação do PTB com o PT na cidade de Mauá. Uma coisa é certa, os integrantes de ambos partidos estarão lutando para angariar votos proporcionais “concorrentemente”, mas há uma grande chance de candidatos do PTB buscarem votos com a defesa “informal” do nome do candidato ao qual queriam estar juntos. Portanto, há que se observar “milimetricamente” o comportamento de candidatos, de muitos partidos, na busca de votos e a defesa do seu candidato a prefeito contra a vontade do eleitor. O que farão? Aí estará a Fragilidade Eleitoral!!

Lamartine Dourado

Economista e Consultor Financeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s