Projeto da Sinfônica de Santo André usa videoarte para traduzir sentimentos do isolamento

Obra é composta por três curtas-metragens elaborados com a participação dos músicos e da artista visual Luisa Almeida; exibição ocorre a partir de sexta-feira, no canal do YouTube da Secretaria de Cultura.

Depois do sucesso das Microestreias da Quarentena, série de microconcertos apresentados no mês de maio, o projeto Ossa em Casa, da Orquestra Sinfônica de Santo André, terá mais uma ação inédita: a Trilogia Trancafiada.

A obra, em formato de videoarte, reúne um conjunto de três curtas-metragens que visam expressar artisticamente os sentimentos experimentados por todos em decorrência do isolamento social. O trabalho, realizado em parceria com a artista visual Luisa Almeida, estabeleceu os conceitos que nomeiam cada um dos capítulos: Ansiedade, Adaptação e Acolhimento.

O primeiro, sobre a Ansiedade, vai ao ar na próxima sexta-feira (14), às 19h. Os vídeos serão publicados em uma playlist especial da Sinfônica de Santo André, no canal do YouTube da Secretaria de Cultura: https://www.youtube.com/playlist?list=PLk73B9e63GO7Dx_3tkBGngZXZTkU4vOfF. Os outros curtas-metragens sobre os temas Adaptação e Acolhimento vão ao ar, respectivamente, nos dias 15 e 16, sempre às 19h.

Segundo o maestro Abel Rocha, diretor da Ossa e da trilogia, a construção da nova obra já em seu planejamento e materiais procurou enfatizar o que há de mais humano na lida com a pandemia, aproximando ainda mais os integrantes da Ossa de seu público, sem perder de vista as especificidades do dia a dia de um músico profissional: mostrando como eles são, sem pedestais. “A palavra-chave do projeto foi empatia: oferecer ao público a nossa para com eles, e fortalecer a deles para conosco”, comenta o maestro.

A atuação dos músicos é constante nos três episódios, mas eles somente tocam seus instrumentos no “passado”, nas gravações já existentes do acervo da orquestra e utilizadas como base sonora para a trilogia.

Para fazer valer a tradição da Ossa de valorizar a produção musical nacional, para servir de base musical para cada um dos vídeos foram escolhidas peças de compositores brasileiros: a Abertura Festiva de Mozart Camargo Guarnieri, nome importante na história recente de música orquestral nacional, o Episódio Sinfônico de Ronaldo Miranda, compositor atuante no cenário nacional atual, e Vivaldiana, de Denise Garcia, compositora também atuante no cenário nacional e autora de Ouro Preto – Mariana, escrita especialmente para a Sinfônica de Santo André.

“É, portanto, da fusão entre os registros da orquestra em concerto e o material audiovisual inédito produzido pelos próprios integrantes, e mediada pela inteligência visual de Luisa Almeida a costurar as três pequenas narrativas, que emerge a Trilogia Trancafiada, pondo lado a lado as tensões dos discursos musical e da imagem, possibilitando ao espectador apreciar de maneira inédita esses videoconcertos”, destaca o maestro Abel Rocha.

Parceria – Para o maestro Abel Rocha, assim como o compositor organiza notas musicais no tempo e as distribui pelos timbres de uma orquestra, a artista visual mineira Luisa Almeida convidada para o trabalho estabeleceu um conjunto de ações visuais específicas, realizadas pelos músicos da orquestra para, então, compor visualmente o resultado da trilogia, organizando-as numa montagem rica de sentido e significados.

“Havia a urgência e a necessidade de expressar os sentimentos enclausurados nesse contexto abrupto de isolamento social. Em um conversa com o maestro Abel Rocha, chegamos aos conceitos chave da Trilogia. Ansiedade, Adaptação e Acolhimento carregam um semblante e uma essência em comum das situações e adaptações cotidianas que foram vivenciadas, não somente pelos músicos, mas por todos nós. Em meio a sentimentos controversos e confusos fomos submetidos a uma reinvenção para essa ‘nova normalidade’, por essa razão, a Trilogia representa um processo de transmutação”, afirma a artista visual Luisa Almeida.

A trilogia – A Trilogia Trancafiada é dividida em três episódios: A Ansiedade abre a série pois talvez seja o sentimento inaugural experimentado por muitos no contexto da quarentena. A consciência da necessidade da suspensão intercalada com a diária preparação e a prontidão para o momento do retorno da rotina. Mas quando esse retorno? Não há respostas, há somente a espera, a incerteza e o decorrente incômodo. Para compor visualmente este vídeo considerou-se o relacionamento de um músico com seu instrumento, para além do fenômeno da produção sonora propriamente dita. Afinal, cada instrumento demanda um cuidado específico, e isso dificilmente transparece diante do público nos momentos de apresentação.

A Adaptação é o segundo momento. Um processo nem sempre saboroso, muitas vezes confuso e conturbado, no qual é difícil se situar, embora situar-se nele seja necessário. Contudo, aos poucos, os turbilhões vão tomando formas, as simultaneidades, desembaraçando-se, e as distâncias, tornando-se palpáveis. O vídeo abusa da sobreposição de imagens, para produzir o desconforto causado pelo acúmulo de tarefas, e reproduzindo, através da ágil altercação das cenas, a sensação de ser absorvido pelas novas rotinas de casa, de higiene e autocuidado, sem poder perder de vista as antigas: a prática do instrumento.

O Acolhimento é o terceiro e último momento, que se inicia de maneira agridoce. Objetos ordinários, cotidianos e outrora ignorados ser tornam companheiros e simultaneamente espectadores dos processos de transformação, íntimos e pessoais. Ao mesmo tempo, a incerteza quanto ao retorno se cristaliza em espera serena. Todo quanto aparecera cinza em Ansiedade, agora surge colorido: acolher a dor também pode gerar uma abertura para enxergar o mundo com novas cores, sendo essa vivência o mote para encerrar nosso percurso.

Serviço
Apresentação da Trilogia Trancafiada – projeto Ossa em Casa

Trilogia Trancafiada: Videoarte em três episódios

Dia 14 de Agosto, 19h – Episódio 1 – Ansiedade

Dia 15 de Agosto, 19h – Episódio 2 – Adaptação

Dia 16 de Agosto, 19h – Episódio 3 – Acolhimento

Os vídeos serão publicados numa playlist especial da Sinfônica de Santo André, no canal YouTube da Secretaria de Cultura de Santo André

Playlist Ossa | Ações Especiais (YouTube):

https://www.youtube.com/playlist?list=PLk73B9e63GO7Dx_3tkBGngZXZTkU4vOfFhttps://www.youtube.com/playlist?list=PLk73B9e63GO7Dx_3tkBGngZXZTkU4vOfF

Ficha técnica:

Orquestra Sinfônica de Santo André

Direção Geral: Maestro Abel Rocha

Direção de Arte / Edição de Vídeos / Ilustrações / Animações: Luísa Almeida

Edição de Áudio / Mixagem: Fábio Scucuglia

Luisa Almeida é artista visual, natural de Viçosa (MG), vive e trabalha em São Paulo. Mestranda em Artes pela Unesp, onde também se graduou em 2017. Desenvolve trabalhos em diferentes linguagens, sendo sua principal linha de pesquisa a xilogravura em grandes formatos. Participou de diversas exposições e salões de arte como: Xilo: Corpo e Paisagem (SESC Guarulhos e Pinheiros, 2019); Onde havia florestas, habitam almas (Galeria Kogan Amaro, 2019); Madeira Nova (Sesc Santo Amaro e São Carlos, 2018). Recebeu menções honrosas pelo seu trabalho no 47° Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba (2015) e na Mostra Comemorativa dos 30 anos do Museu da Xilogravura de Campos do Jordão (2017). Também atua como cenógrafa de óperas e peças teatrais, estando entre os trabalhos mais recentes a coordenação da pintura artística dos musicais A Escola do Rock (2019) e Charlie e a Fantástica Fábrica de

Chocolate (2020).

| Texto: Marcos Imbrizi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s